Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010
No seguimento deste post, um dos promotores da Plataforma Cidadania e Casamento enviou-me um e-mail, um educado e-mail, há que notar, chamando-me a atenção para o facto de nem todos os que estavam na manifestação serem homofóbicos ou se reverem em alguns dos cartazes utilizados. É para mim óbvio que pessoas como o João Távora ou o Paulo Marcelo, que conheço, por exemplo, não têm preconceitos contra a homossexualidade. Acredito que o que os move contra o casamento homossexual sejam argumentos que lhes parecem plausíveis e sólidos, apesar de apoiarem uma plataforma de cidadãos que trata a questão da homossexualidade com uma confrangedora e mais que manifesta ignorância. E acredito, até, que se tenham sentido incomodados com a companhia que levavam. E isso leva-me ao ponto essencial deste post: eu não escrevi que todos quantos ali estavam apoiavam a presença de crianças com t-shirts de ódio, a presença de forças extremistas ou a utilização de cartazes daqueles. O que eu escrevi foi que, uma boa parte («em grande medida») dos que ali estavam apenas queriam passar a sua mensagem de ódio profundo relativamente àqueles que são, simplesmente, diferentes. Só e apenas isso.


# Tiago Moreira Ramalho às 15:30 | | comentar

autoria
Tiago Moreira Ramalho

twitter
arquivo do blogue

Fevereiro 2013

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

subscrever feeds

 FeedBurner