Domingo, 28 de Fevereiro de 2010
Há uma regra elementar dentro de um partido: luta-se pela liderança e, no fim do conflito interno, há união de esforços para o conflito externo. Um exemplo bom, por claro e recente, é o de Barack Obama, que convidou todos os seus adversários directos para se juntarem a ele na administração. Encontramos o mesmo método em inúmeras outras situações, de outros partidos, outros países, outros tempos.
Posso estar enganado, mas creio que, independentemente do resultado nas próximas eleições do PSD, o vencedor não terá o estofo necessário para acolher os adversários e o vencido não terá a dignidade de manter uma postura honrosa. E isso faz com que nenhum dos dois candidatos à liderança do PSD seja um sério candidato a Primeiro-Ministro. E isso, meus caros, levará apenas a que a corte socrática, que, atenção, não é o Partido Socialista, se mantenha, talvez com alguma troca de cadeiras, indefinidamente no poder.


# Tiago Moreira Ramalho às 21:54 | | comentar

autoria
Tiago Moreira Ramalho

twitter
arquivo do blogue

Fevereiro 2013

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

subscrever feeds

 FeedBurner