Sexta-feira, 12 de Março de 2010
Num jornal diário português li uma manchete que, mais coisa, menos coisa, dizia assim: «Jaime Gama vai decidir se paga viagens a Inês de Medeiros». O primeiro impulso foi comprar uma revistinha qualquer e ver se havia molho amoroso das mais altas esferas do poder, mas depois regressei a mim e entendi que o jornal, pobrezinho, pensa apenas que o dinheiro com que as viagens de Inês de Medeiros iriam ser pagas é de Jaime Gama. Provavelmente os visados também pensam isso, pelo que ainda se dão ao luxo de sequer «ponderar» a questão. Mas, perdoe-se-me desmanchar os prazeres de toda esta gente, a verdade é que estão um pedacinho enganados. O dinheiro, meus caros, não é de Jaime Gama, nem do PS, como dizia a outra. O dinheiro é nosso, dos contribuintes, que não têm de financiar os caprichos dos partidos. O PS decidiu meter uma senhora que vive em Paris nas listas por Lisboa? Pois muito bem, que pague o PS as viagens, ou que as pague a própria. O que não pode acontecer é que os contribuintes, para além de fecharem os olhos aos pára-quedismos, ainda tenham de os financiar. Eu acho muito bem que Inês de Medeiros queira ir ver os trabalhos de casa da filha, acho, mas que não se atropele a lei apenas porque Inês de Medeiros não se lembrou disso antes.


# Tiago Moreira Ramalho às 15:56 | | comentar

autoria
Tiago Moreira Ramalho

twitter
arquivo do blogue

Fevereiro 2013

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

subscrever feeds

 FeedBurner