Segunda-feira, 15 de Março de 2010

O Partido Social Democrata fez uma campanha baseada no valor da liberdade. Muito me agradou, a tónica. Palavra. Sentia-se, sente-se, o mau clima no que respeita à liberdade de expressão e de informação. No entanto, toda a campanha foi uma tremenda escarradela para o ar que ontem caiu na portentosa testa social-democrata. Uma lei estatutária que cria uma espécie de «delito de opinião» interno nos sessenta dias que antecedem uma eleição faria corar alguns partidos menos recomendáveis. E, claro, fez o Partido Socialista encher o peito e vir acusar a profunda contradição.
Felizmente, os candidatos vieram rapidamente demarcar-se da nova lei. Supõe-se que vá durar pouco. Mas, meus caros, o simples facto de ter sido proposta, votada e, escândalo, aprovada é já revelador do espírito deste PSD. Não é com leis destas que se ganha o partido ou o país. Não foi com leis destas que os grandes líderes uniram os grandes partidos. E enquanto o PSD não entender que aquilo que tem de fazer é deixar-se de «jotices» tolas e começar a trabalhar num projecto sério, com forte sustentação ideológica e com uma mensagem verdadeiramente inspiradora, bem pode inventar leis, promover congressos, meter João Jardim a fazer o pino com nariz de palhaço, que nada mudará. Nada.



# Tiago Moreira Ramalho às 21:28 | | comentar

autoria
Tiago Moreira Ramalho

twitter
arquivo do blogue

Fevereiro 2013

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

subscrever feeds

 FeedBurner