Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

A conversa costumeira da fidelidade que devemos à nossa essência não ultrapassa isso mesmo: simples conversa. A fidelidade à nossa essência só nos traz algo de bom numa percentagem reduzidíssima das situações. Na realidade, meu caro leitor, se quer ser alguém, aprenda a ser outro. O conceito de perfeição, ou pelo menos a sua aproximação, não se compagina com grandes «excentricidades», como o Bentham lhes chamava.



# Tiago Moreira Ramalho às 19:58 | | comentar

autoria
Tiago Moreira Ramalho

twitter
arquivo do blogue

Fevereiro 2013

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

subscrever feeds

 FeedBurner